Tecnologia Ambiental

14 de dezembro de 2012

Controle do Ar – Essencis compra empresa de monitoramento do ar

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página

    U

    ma tendência entre as empresas especializadas em soluções ambientais é não se limitar apenas a um ramo da atividade, mas sim procurar atender a todas as demandas de controle. Há vários casos para ilustrar no setor. A Enfil, por exemplo, começou na área de controle de poluição atmosférica, passou para tratamento de água e hoje caminha com firmeza para atender às necessidades no gerenciamento de resíduos (projetos BOT principalmente), de remediação de sólidos e, ainda mais recentemente, na área de saneamento básico como EPCista.

    Há também o caso da Essencis, empresa que apresenta caminho inverso ao da Enfil. Especializada em gerenciamento de resíduos, proprietária de aterros e várias outras tecnologias na área, a Essencis recentemente entrou no mercado de controle de poluição do ar para completar seu portfólio. A entrada se deu pela aquisição, em dezembro de 2011, da Prameq, empresa dedicada ao controle de emissões de fontes fixas por meio de monitoramento de chaminés.

    Química e Derivados, Giovanna Setti, Superintendente da Essencis, Controle do Ar

    Giovanna Setti: Coleta em campo e sugestão de mudança

    Empresa há 30 anos no mercado, com mais de 3 mil clientes, a Prameq teve 70% de suas ações adquiridas pela Essencis, esta por sua vez pertencente aos grupos Solvi e Cavo. “A operação é basicamente se responsabilizar pela coleta em campo e análise das emissões de várias indústrias, para atender às exigências de órgãos ambientais, mas também para propor mudanças e alterações nos sistemas de controle”, afirmou a superintendente da Essencis, Giovanna Setti.

    A Prameq é habilitada a realizar praticamente todas as demandas na área de emissão. Faz análises de material particulado, SOx, NOx e HCl/Cl, em seu laboratório próprio em São Paulo, e conta com parcerias para análises de VOC, SVOC, HCl/Cl por cromatografia de íons, dioxinas e furanos e fluoretos. Quando não há referência em normas locais, caso dos padrões para dioxinas e furanos, a empresa segue as internacionais, como as da agência de proteção ambiental norteamericana (EPA). Toda a amostragem dos parâmetros é isocinética, isto é, a vazão da coleta das amostras é igual à vazão dos gases descartados pela chaminé.

    Além das análises em laboratório, a empresa realiza medições in situ de vazão, temperatura, umidade, concentração de oxigênio, CO e CO2, além da leitura de VOC utilizando um detector equipado com FID. As dioxinas e os furanos são medidos por meio de amostra do fluxo de gás retirada isocineticamente, que depois passa por filtro de fibra de vidro e por uma coluna preenchida com material adsorvente (resina), que adsorve as dioxinas e os furanos. Depois da coleta e da adsorção, a resina é enviada para laboratório parceiro, onde se realiza a separação por cromatografia gasosa de alta resolução dos compostos, quantificando-os por espectrometria de massa.

     



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next