Automação Industrial

6 de novembro de 2001

Automação: Rockwel cumpre meta de crescimento da matriz

Mais artigos por »
Publicado por: Quimica e Derivados
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A Rockwel Automation do Brasil encerrou o ano fiscal em outubro, seguindo normas da matriz americana, obtendo faturamento de R$ 172 milhões, 22% superior aos R$ 141 milhões alcançados em 2000. A empresa tirou proveito do fato de ser a única fabricante mundial com fábrica local de controladores lógico-programáveis (CLP), em ano pautado pela desvalorização do real frente ao dólar, inibindo importações.

    O maior negócio do período foi o fornecimento de US$ 5 milhões para a nova fábrica da Ford em Camaçari-BA, na qual forma adotadas a plataforma de automação ControlLogix e as redes de controle ControlNet e Device Net, cobrindo toda a fábrica.

    Além desse, negócios importantes foram fechados com a Petrobrás, como a automação do terminal de Cabiúnas (US$ 800 mil), US$ 400mil para automatizar a operação de três estações e bombeamento do Gasoduto Brasil-Bolívia, entre outros, como toda a parte de automação da plataforma P40. Merecem citação o controle do convertedor da aciaria da Açominas (US$ 600 mil) e a automatização do digestor da Coinbra (US$ 600 mil).

    A divisão das vendas salienta o peso das compras dos setores de bens de consumo e metais/mineração, os quais representam a metade das vendas da Rockwell Automation no Brasil. São seguidos pelo setor automotivo e de infra-estrutura (composto por portos, aeroportos, cargas, petróleo e gás), cada qual com 20%.

    Segundo Danilo Talanskas, presidente da subsidiária brasileira, esses resultados se devem ao amplo processo de reestruturação empreendido no Brasil. O ponto principal foi a pulverização dos canais de venda, que permitiu abrir novos mercados para a companhia, além da abertura de três novas filiais no País, chegando ao total de oito. A Rockwell obtém 85% de seu faturamento por meio da rede de distribuidores. No Brasil, esse percentual já subiu de 35% para 44%, com a intenção declarada de Talanskas de chegar a 60% nos próximos anos. Os distribuidores foram incentivados a se especializar por áreas de atuação. Dessa forma, a rede conta com 10 distribuidores logísticos e 24 provedores de soluções.

    No próximo exercício a empresa pretende investir US$ 2 milhões para divulgar a tecnologia Complete Automation, com a qual pretende manter o ritmo de crescimento de negócios. A empresa identificou alguns nichos de mercado no Brasil, como o setor sucroalcooleiro, no qual verifica incremento de negócios da ordem de 20% ao ano. Para 2002, as maiores expectativas estão ligadas aos investimentos petroquímicos e de papel e celulose, sem desprezar as áreas de energia, saneamento básico e agroindústrias.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *