Química

15 de março de 2010

Atualidades – Tintas: Brasil sedia emulsões da Clariant

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Fairbanks
+(reset)-
Compartilhe esta página
    O

    bom desempenho e o forte potencial de crescimento dos mercados de tintas, adesivos, acabamentos têxteis, materiais de construção, couro e papel no Brasil foram decisivos para que a Clariant apontasse o país para sediar sua mais nova unidade mundial de negócios, voltada para emulsões. Todos os negócios da companhia foram divididos em dez unidades (BU, de business units), das quais oito têm sede em Basileia (na Suíça, matriz do grupo) e uma outra, voltada para negócios com petróleo, em Houston (Texas, EUA). A BU emulsões se reporta diretamente à alta direção da Clariant, em Basileia (Suíça), mas se vale dos serviços de suporte (recursos humanos, infraestrutura e outros) das subsidiárias regionais.

    Químia e Derivados, diretor e líder mundial da BU emulsões da Clariant, Atualidades - Tintas: Brasil sedia emulsões da Clariant

    Schultheis: estratégia atende crescimento no Hemisfério Sul

    Até 2009, enquanto existiu a divisão TLP (têxteis, couro e papel), as emulsões permaneceram muito ligadas a ela, detentora de importantes aplicações. As atividades de emulsões voltadas a outros segmentos relevantes de mercado, como tintas e adesivos, estavam dispersas na companhia, sem um foco preciso de atuação. A separação da divisão TLP em três BUs independentes abriu caminho para a criação da BU emulsões, que deverá gerar sinergias entre os muitos negócios da Clariant.

    “A extensão do modelo de unidades de negócios reflete a preocupação da alta direção em promover maior transparência dos resultados, ou seja, torna mais fácil enxergar de onde vem o lucro”, explicou o diretor e líder mundial da BU emulsões da Clariant, Sven Schultheis. Aos quarenta anos, vinte deles na Hoechst e na Clariant (resultado da união de parte da antiga Sandoz com os negócios remanescentes da Hoechst), com carreira desenvolvida em vários países e em diversas áreas de negócios, com destaque para os bons resultados alcançados com masterbatches, o líder mostra entusiasmo com o novo desafio profissional.

    Ele salienta que a Clariant possui fortes negócios com emulsões na América Latina e na África, com alguma participação na Ásia. “Somos muito mais fortes no Hemisfério Sul do que no Norte, e o Brasil é o país mais destacado da região”, comentou. Além disso, a proximidade com grandes clientes e com o site fabril da companhia em Suzano-SP determinou o local da sede da BU. “A economia mundial cresce no Hemisfério Sul”, salientou.

    Segundo Schultheis, a Clariant é a empresa com a maior versatilidade para produzir emulsões obtidas de qualquer sistema de monômeros em base água do mundo. A companhia compra monômeros de fornecedores mundiais e realiza ela mesma, com tecnologia própria, as operações necessárias de polimerização e formulação das emulsões desejadas pelos clientes, lembrando que a companhia é uma importante produtora mundial de tensoativos, aditivos e outros insumos. “Temos uma grande tradição nesse negócio, bastando dizer que a nossa mais conhecida marca comercial, a Mowilith, nasceu em 1917”, afirmou. A empresa não possui vínculos societários nem com produtores de monômeros, nem com fabricantes de tintas.

    Embora disponha de uma ampla e estabelecida plataforma tecnológica mundial, o executivo enfatiza a necessidade de adaptar cada formulação às situações específicas de cada cliente. “É um negócio local feito com base em insumos globais”, resumiu. As emulsões precisam ser formuladas perto dos clientes, para que o custo de transporte não torne inviável o suprimento. Por isso, a Clariant também conta com unidades no Chile (recentemente ampliada), Argentina, México, Venezuela e outros locais.

    No Brasil, Sven Schultheis prevê um aumento na procura de resinas em emulsão de qualidade porque os fabricantes de tintas voltados para as classes C e D, de menor poder aquisitivo, precisam melhorar seus produtos para atender às exigências das recentes normas oficiais de desempenho. “Somos competitivos em qualquer sistema de base água, como vinílicos, acrílicos, estirênicos e suas modificações, além dos terpolímeros”, comentou. A estrutura da BU mundial conta com três diretores (ele incluído) e um quadro de gerentes por países e por produtos globais. Isso agiliza a tomada de decisões. “Queremos agregar valor, não custos”, disse. Ao todo, o núcleo da equipe conta com 18 profissionais, de 17 nacionalidades diferentes. Isso inclui a equipe própria de pesquisa e desenvolvimento de aplicações, também espalhada pelo Hemisfério Sul.

    O mercado de tintas é o maior cliente das emulsões da Clariant, que conta com o apelo da substituição dos sistemas solventes e das facilidades de aplicação, chegando às formulações prontas para uso. Segundo o diretor, os casos de sucesso verificados em outros mercados estão sendo adaptados às condições técnicas e econômicas locais, aproveitando ao máximo a disponibilidade de tecnologias desenvolvidas pela companhia. A ideia da BU é oferecer emulsões adequadas às necessidades técnicas e econômicas de cada situação. Isso precisa ser observado em relação ao custo total da formulação, não apenas quanto ao preço da emulsão.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next