Química

19 de outubro de 2007

Analitica – Latin America – Novos negócios, como o biodiesel, despertam o interesse dos fornecedores das várias famílias dos instrumentos analíticos

Mais artigos por »
Publicado por: Maria Silvia Martins de Souza
+(reset)-
Compartilhe esta página

    C

    om mais de 500 empresas em 14 mil m2 de exposição, a 9ª Analitica Latin America recebeu cerca de 11 mil visitantes entre os dias 26 e 28 de setembro, no Transamérica Expo Center,em São Paulo. Novidades em equipamentos e artigos para laboratórios conquistaram a atenção dos presentes.

    Assuntos atuais como segurança e biodiesel ocuparam espaço em vários estandes, como no da Varian, com filial localem São Paulo, que divulgou seu cromatógrafo gasoso CP3800, com injetor próprio para esse biocombustível.

    Marcos Antonio de Macedo, do departamento de suporte para a América Latina, lembrou que o biodiesel é produzido pela reação de ácidos graxos com metanol ou etanol, gerando o éster metílico ou etílico do ácido graxo. Resultam como subprodutos: água e glicerina. O conteúdo de glicerina é um dos parâmetros de qualidade a ser controlado no biodiesel. De acordo com Macedo,em nosso Paísainda não há normas específicas para análise de biodiesel. “Nos EUA, o biodiesel é principalmente obtido de óleo de soja; na Europa, de óleo de canola. No Brasil, entretanto, várias outras fontes são usadas, como mamona, palmiste e sebo. Isso pode dificultar a adequação de um método analítico”, considerou. Lembrando que a ANP tem uma metodologia para o biodiesel de mamona,Macedo disse que a tendência local é usar normas internacionais. Segundo ele, as especificações da norma americana ASTM D-6751 servem de referência para identificar os padrões que o biodiesel precisa atender antes de ser usado como combustível.

    “O método recomendado para análise de glicerina em biodiesel por cromatografia gasosa (CG) é o descrito ASTM D-6584, executável no CP3800”, acrescentou. Macedo destacou ainda que metanol ou etanol residuais também podem ser analisados nesse equipamento, com head-space. “A Varian já tem 10 unidades vendidas no Brasil para análise de biodiesel, a maioria em empresas do Nordeste”, finalizou.

    Surgida em setembro de 2006, por meio de uma joint venture entre a suíça Metrohm e a brasileira Pensalab, a Metrohm-Pensalab de São Paulo também destacou em seu estande instrumentos para análise de biodiesel, a exemplo dos tituladores de Karl Fisher para quantificação de água, pHmetros, tituladores automáticos para determinação de acidez e índice de iodo, e o Rancimat 873, equipamento que mede a estabilidade à oxidação de óleos, gorduras, biodiesel e diesel. “É um teste de oxidação acelerado. O aparelho permite também a determinação da efetividade de antioxidantes”, esclareceu o especialista de aplicação e produtos, Saulo Iotti Vidal.

    Química e Derivados, Analitica - Latin America - Novos negócios, como o biodiesel, despertam o interesse dos fornecedores das várias famílias dos instrumentos analíticos

    Cromatógrafo gasoso CP 3800 analisa glicerina em biodiesel

    O equipamento simula o processo de oxidação natural, o que permite obter os resultados em poucas horas. O reagente é o próprio oxigênio do ar, sugado pelo aparelho, no qual é purificado e seco por passagem em um filtro de peneiras moleculares e sílica. É possível realizar até oito testes simultâneos. O Rancimat 873 tem dois blocos de aquecimento independentes, o que permite a realização de testes em duas temperaturas diferentes.

    As substâncias sob análise são aquecidas à temperatura programada em cada um dos blocos. O ar é borbulhado nas amostras por um capilar interno, levando-as à decomposição, com formação de peróxidos e outros produtos de oxidação, como ácido fórmico e ácido acético. Esses seguem por meio de outro tubo até uma célula contendo água de condutividade menor que 5µS/cm. Suas dissoluções alteram a condutividade e o aparelho mede a diferença. O software calcula o período de indução, e o tratamento dos dados permite estabelecer a vida útil do produto. Segundo Vidal, o Rancimat 873 atende à norma alemã DIN 14112, para determinação de estabilidade à oxidação de ésteres metílicos de ácidos graxos, caso do biodiesel. “Além das vantagens técnicas, buscando sempre a satisfação de nossos clientes, nossa empresa estendeu para três anos o período de garantia do Rancimat e demais equipamentos adquiridos em2007”, finalizou.

    A Ebco Systems, de São Paulo, tradicional fornecedora de equipamentos para o setor de inspeção e segurança, representante exclusiva da americana Smiths Detection no Brasil, lançou na feira sua linha científica.

    A Smiths Detection faz parte do grupo Smiths, líder na venda de equipamentos de tecnologia avançada para os mercados civil e militar. “A Smiths é mundialmente conhecida como fornecedora de aparelhos para segurança de aeroportos, fronteiras, bagagens, entre outros, mercado onde atua há mais de vinte anos”, disse o gerente comercial da Ebco Systems, Luiz Llaberia.

    “Todos os equipamentos de segurança usados nos últimos Jogos Pan- Americanos eram da Smiths. Os cem técnicos da empresa que atuam em todo o território brasileiro foram deslocados para o Rio de Janeiro na ocasião”, contou.


    Página 1 de 512345

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next