Farmácia e Biotecnologia

24 de outubro de 2003

Analítica: Feira traz o fino da indústria ao Brasil

Mais artigos por »
Publicado por: Quimica e Derivados
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados: Analítica: expoquimica_abre. A 7ª edição da maior feira latino-americana para os setores de tecnologia laboratorial, biotecnologia e análises clínicas, a Analítica Latin America, foi marcada pelo aumento de 11% no número de visitantes (mais de 10 mil), apesar da economia em ritmo lento. Os participantes puderam conferir, durante os três primeiros dias de outubro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, os lançamentos de 380 expositores do Brasil e do exterior, além de participar do 1o Congresso Brasileiro de Análises Químicas, Biotecnologia e Life Sciences, uma das novidades do evento, ao lado da 1a Expoquímica – Feira Internacional de Produtos, Processos e Equipamentos para a Indústria Química, a primeira realizada no País especificamente para profissionais desta indústria envolvidos com controle de processo, qualidade, segurança e armazenamento.

    “A primeira edição da Expoquímica agregou valores à feira que já é tradicional e chamou a atenção de empresas que não participaram desta edição a estarem presentes em 2005”, comemorou Joris Van Wijk, diretor da VNU Business Media Brasil, a organizadora do evento. A previsão é de crescimento de 15% na próxima edição.

    A seguir, o leitor de QD encontra um apanhado de algumas das novidades que marcaram presença na feira. Boa Leitura!

    O que foi visto na feira

    Química e Derivados: Analítica: acatec.ACATEC

    Premiado na Pittcon 2003 com medalha de ouro, o cromatógrafo de íons ICS-2000 está na vanguarda dos equipamentos de sua geração e foi um dos focos das atenções no estande da Acatec, representante exclusivo da Dionex Corporation no Brasil. Resultante de pesquisas empreendidas nos últimos trinta anos, visando tornar mais eficientes e fáceis as análises cromatográficas, o ICS 2000 opera sob controle do software de automação Chromeloen, em conformidade com as normas GLP e GALP. Incorpora tecnologia livre de reagentes, com bomba serial de pistão duplo, cela de condutividade com controle de temperatura e painel frontal de cristal líquido para o monitoramento integral do sistema. A tecnologia combina a geração de eluentes com supressão eletrolítica e colunas aprisionadoras. A geração de eluentes in-situ permite executar corridas gradientes, bombeando-se somente água, para se produzir eluente de hidróxido para análises de altíssima pureza de ânions e cátions (MSA). A supressão eletrolítica não requer o preparo de qualquer solução regenerante e as colunas aprisionadoras continuamente regeneradas removem qualquer traço de impureza que possa interferir nas corridas. Os benefícios incluem melhores separações para diversas matrizes, limites de detecção mais baixos e operações com colunas de alta capacidade.

    Química e Derivados: Analítica: alemmar. ALEMMAR

    Vários equipamentos foram incluídos no elenco das novidades. O analisador AW Sprint TH500, da Axair Novasina, por exemplo, propicia medições da atividade de água, um dos parâmetros mais requeridos atualmente pelos laboratórios de análises de indústrias alimentícias, farmacêuticas e de matérias-primas. O reômetro YR-1, da Brookfield Engineering, determina a tensão de escoamento de forma prática e direta e possui haste com geometria em forma de turbina, permitindo trabalhar com materiais de alta viscosidade. O refratômetro série RFM730, da Bellingham/Stanley, tem um inovador sistema de gerenciamento inteligente de temperatura, que dispensa a utilização de banhos externos. O analisador de granulometria por peneira vibratória Analysette 3, da Fritsch, é provido de motor eletromagnético na base para gerar oscilação vertical nas peneiras.

    O moinho com rotor de velocidade variável Pulverissette 14, da Fritsch, integra a linha desenvolvida para moagens de substâncias de média a suave durezas em alta velocidade, até 20.000 r.p.m., e pode também ser utilizado para dispersar e homogeneizar amostras isentas de umidade. Outra inovação foi a incubadora por convecção natural Incucell 55, da MMM Medcenter. Desenvolvida para conduzir o crescimento de culturas microbiológicas de forma segura, ela foi construída internamente em aço inox ASI 304, apresenta baixíssimo nível de ruído e um sistema de circulação de ar por convecção natural, que maximiza a distribuição da temperatura e reduz possíveis desvios a valores mínimos, dispondo ainda de controlador micro-processado. O público também conferiu vários outros equipamentos, como estufa por convecção forçada Venticell 55, da MMM Medcenter; concentrador centrífugo CentriVapDNA, da Labconco; banho de aquecimento e refrigeração F25-MD, da Julabo; banho de circulação aberta EC13, da Julabo e incubadora universal por jaqueta de água 3110, da Thermo Forma.

    Química e Derivados: Analítica: ambriex. AMBRIEX

    A exposição apresentou o espectrômetro Digilab modelo Scimitar, que incorpora microscopia-IR e analisador Near-IR. Outra inovação apresentada ao público foi o nariz eletrônico Alpha Mos, desenvolvido para medições específicas de aromas e odores nos setores de alimentos, bebidas, cosméticos, produtos farmacêuticos, perfumes, produtos químicos, plásticos, papel e borrachas.

    ASTRA BRASIL

    A fabricante de vidros em borossilicato termo-resistente apresentou produtos da linha Vidrolabor, voltada para laboratórios. A empresa anunciou, recentemente, parceria da marca com a Carlo Erba, importante fabricante italiana de reagentes químicos, com passagem anterior pelo País.


    Página 1 de 512345

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *