Química

19 de julho de 2007

Ambiente – Fornecedores do saneamento recuperam mercado e visualizam retorno das grandes obras

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página
    U

    m clima de confiança com os novos rumos do setor influenciou positivamente a 18ª edição da Feira Nacional de Materiais e Equipamentos para Saneamento, a Fenasan, realizada entre 7 e 9 de agosto no pavilhão amarelo do Expo Center Norte,em São Paulo. Não que não existam mais queixas dos fornecedores desse instável mercado, sempre vítima da falta de organização e de vontade política para investir. Mas a impressão geral, baseada em alguns dados já perceptíveis em 2007 por dirigentes setoriais e por uma tendência que caminha para se concretizar no próximo ano, é a de que o setor está prestes a entrar em um novo ciclo de investimentos.

    “As expectativas dos fornecedores de equipamentos e sistemas para 2007, já bastante otimistas, estão quase se cumprindo totalmente”, afirmou Gilson Afonso, presidente do Sindicato Nacional dos Fabricantes de Equipamentos para Saneamento Básico e Ambiental (Sindesam), ligado à Abimaq. A confiança do dirigente não se baseia apenas no fato de 24% dos cerca de 80 expositores da Fenasan serem filiados à Abimaq e de o Sindesam ter organizado uma “ilha” de 380 m² para a participação conjunta de oito de seus associados, fora os demais com estandes próprios. Enquetes realizadas com os 88 associados do Sindesam, que na sua percepção representam cerca de 80% dos fabricantes nacionais especializados em saneamento, dão mais ênfase a seu otimismo.

    Segundo Afonso, até o final de junho os associados acreditam que, no plano das municipalidades, 90% das expectativas de vendas foram atendidas e, no setor industrial, 82% do previsto no início do ano foi correspondido. Bom ressaltar que, embora o cenário seja animador, significa apenas uma tendência de recuperação, de retorno ao faturamento normal dos fornecedores, tendo em vista a baixa nas vendas registrada nos últimos anos. “Crescimento mesmo só em 2008”, complementa o presidente do Sindesam, também sócio-diretor da Aquamec.

    Tanto o ritmo de recuperação de 2007 como o futuro promissor esperado para 2008 são fundamentados pelo executivo. No primeiro caso, teria a ver principalmente com obras licitadas nos primeiros anos do governo Lula, nas regiões Norte e Nordeste, represadas por ultrapassarem o período de 12 meses da dotação orçamentária e que agora são retomadas. Outros motivadores, além das vendas na indústria, são provenientes de obras em companhias estaduais mais dinâmicas, como a Copasa, de Minas Gerais, com capital aberto em bolsa para financiar obras em abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto. “A empresa com ações no mercado precisa gerar dividendos e, para isso, depende de novos projetos”, explicou. Como aspectos negativos do momento, porém, o fato de uma empresa importante, também de capital aberto em bolsa, a Sabesp, estar muito contenciosa nos investimentos, e ainda os recursos esperados do Programa de Aceleração ao Crescimento (PAC), calculados em R$ 4 bilhões para 2007, tardarem a sair. “Esse montante todo não deve ser aplicado neste ano”, diz.

    Afonso também encontra razões para sua crença em 2008 como ano de crescimento. Para ele, será a partir daí que os efeitos do PAC e do novo marco regulatório do setor, a lei 11.445/07 publicada no Diário Oficial da União no final de fevereiro, começarão a aparecer de fato no País. Este será o tempo mínimo necessário para revelar os projetos que surgirão com as diretrizes impostas às municipalidades pela lei, para as quais cada cidade ou região precisa ter um plano diretor de saneamento. E ao cumprimento dessa determinação estarão atrelados os recursos do PAC. “Os gestores dos recursos só liberam o dinheiro se as prefeituras estiverem dentro da lei”, informa Afonso.

    Química e Derivados, Gilson Afonso, Presidente do Sindesam, Ambiente - Fornecedores do saneamento recuperam mercado e visualizam retorno das grandes obras

    Afonso: bom primeiro semestre para associados do Sindesam

    Mas mesmo a previsão otimista também está sujeita a algumas dúvidas. Para o presidente do Sindesam, embora algumas cidades comecem a manifestar interesse em se adequar ao marco regulatório, a maior parte das prefeituras ainda carece de qualificação e capacitação para formular seus planos executivos previstos na nova lei. “E para fazê-los elas precisam de recursos para financiar as propostas de universalização do saneamento, o que não é possível ser feito usando o PAC”, diz. Uma saída para as prefeituras, segundo uma análise feita por consultor contratado pelo Sindesam, seria firmar parcerias com universidades e centros de pesquisa, que poderiam utilizar recursos de instituições como a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos, órgão federal) para financiar os planos diretores de saneamento.

    Negócios para todos – A mudança para melhor em gestação no saneamento, além de significar bons negócios para os fornecedores, afeta uma cadeia ampliada de empresas prestadoras de serviços, ao facilitar e permitir a participação no setor de companhias públicas e privadas. Isso por um motivo bastante objetivo: a lei 11.445 foi redigida de forma que oferecesse três alternativas aos titulares do serviço, ou seja, as prefeituras, de implementação das metas de universalização do tratamento de água e esgoto: 1) criar uma companhia municipal; 2) publicar edital de licitação dos serviços extensivo a concessionárias públicas e privadas; e 3) realizar o chamado contrato de programa com empresas públicas, que dispensa concorrências ao mesmo tempo em que depende de aprovação das assembléias legislativas estaduais e cuja ordenação isenta as prefeituras das regras rígidas da lei de concessões.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next