Produtos Químicos e Especialidades

27 de julho de 2003

Álcool: Tecnologia amplia oferta e reduz custo do álcool

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Fairbanks
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Setor pode dobrar a produção apenas com o aproveitamento adequado do bagaço e da palha da cana, sem ampliar o plantio

    A

    região Centro-Sul está prestes a assumir o epíteto de “Oriente Médio” brasileiro. O setor sucroalcooleiro se prepara para ampliar a participação na matriz energética nacional, impulsionado pelo maior aproveitamento da cana-de-açúcar, em especial de partes hoje subutilizadas ou desperdiçadas, como o bagaço, pontas e palhas. Já existe tecnologia tanto para elevar a produção de álcool, quanto para gerar eletricidade.

    Detentor dos melhores índices técnicos e econômicos do mundo na obtenção de açúcar e álcool, o Brasil poderá, assim, distanciar-se ainda mais de seus concorrentes. E, o que é melhor, sem depender de subsídios oficiais.

    O maior incentivo ao uso do álcool como combustível automobilístico reside no fato de ser um produto renovável, ao contrário dos derivados de petróleo.
    Além disso, o etanol obtido por fermentação se baseia no cultivo de plantas capazes de transformar dióxido de carbono em açúcares mediante processo de fotossíntese. Essa retirada temporária de carbono da atmosfera, ainda que seja depois reposta como gás liberado durante a fermentação, ou pela queima nos motores a combustão, gera para o País os chamados créditos de carbono previstos no Protocolo de Kyoto, negociáveis com países desenvolvidos, considerados mais poluidores.

    Química e Derivados: Álcool: Rodrigues - setor quer manter frota a álcool.

    Rodrigues – setor quer manter frota a álcool.

    O primeiro reflexo positivo dessa visão ambientalista foi o incentivo dado pelo governo da Alemanha à produção de 100 mil veículos movidos a álcool no Brasil. “Cada veículo será vendido por um preço mil reais inferior, vantagem alcançada mediante à correspondente renúncia fiscal do IPI, a ser compensada pelo governo alemão”, explicou Antonio de Pádua Rodrigues, diretor-técnico da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Única), Estado que concentra cerca de 60% da produção brasileira de álcool etílico. Toda a região Centro-Sul atende a 88% desse mercado. “O setor busca outros parceiros internacionais para ampliar a frota, nos termos desse protocolo”, afirmou Rodrigues.

    Esse movimento é estratégico para o setor, pois a frota nacional de carros movidos a etanol hidratado, calculada pela Única em 2,5 milhões de unidades, apresenta sucateamento anual entre 250 mil e 300 mil veículos. O projeto conjunto com o governo alemão ajudará a repor metade das unidades de consumo desmobilizadas em um ano. As demais devem ser conseguidas em programas similares ou pela adesão maciça dos consumidores aos recém-lançados motores bicombustíveis (flex fuel ou multi fuel). O diretor da associação espera resultados dessa iniciativa de mercado em prazo mais dilatado, podendo modificar sensivelmente a demanda de combustíveis.

    Caso a demanda pelos veículos bicombustíveis realmente decole, o setor passará a conviver com um mercado muito mais sensível e volúvel do que o atual. A partir do momento em que o consumidor possa escolher, sem limitação, se abastecerá seu carro com álcool ou gasolina, a resposta da demanda às flutuações de preços dos combustíveis será imediata. “O mercado vai aprender a conviver com essa característica e se auto-regular com liberdade”, avaliou. Nesse caso, Rodrigues acredita que a diferença absoluta entre os preços de combustíveis influa mais na decisão do consumidor do que o preço relativo entre eles. “Poucos farão a conta; a maioria escolherá pelos preços nas bombas”, disse.

    O cálculo, no caso, é simples. Como o álcool tem um poder energético por litro menor que o da gasolina, seu consumo no motor é maior. Dessa forma, seria preciso multiplicar o preço da gasolina na bomba por 0,7, de modo a obter o preço de indiferença entre esse combustível e o etanol hidratado. Se o resultado for superior ao preço do álcool na bomba, é mais vantajoso abastecer com esse combustível. Do contrário, é melhor encher o tanque com gasolina. Atualmente, com esta a R$ 1,90 por litro, o álcool a R$ 0,95 seria a melhor escolha, pois está bem abaixo do preço de equilíbrio, de R$ 1,33.

    Química e Derivados: Álcool: Nastari - etanol será fonte de hidrogênio.

    Nastari – etanol será fonte de hidrogênio.

    Mesmo sem contar com as novidades, o mercado nacional de álcool hidratado segue estável, a despeito do sucateamento da frota. “Em julho, o mercado demandou um bilhão de litros, volume quase igual ao do melhor mês do ano passado”, informou Rodrigues, para quem 2003 está com consumo ainda maior que o verificado em 2002. Isso só se justifica pelo uso crescente da mistura de álcool hidratado com gasolina, não recomendada pela indústria automotiva, mas que tem seus adeptos. É o chamado “rabo-de-galo”.

    Anidridização não – Por causa da redução paulatina da frota de carros a álcool e de problemas para manter a produção vivenciados em anos anteriores – aliás, neste ano a safra foi antecipada para atender a um pedido direto da presidência da República –, houve defensores para a conversão das destilarias brasileiras em produtoras de álcool na forma anidra. “Essa idéia partiu do governo, no tempo em que o setor vivia sob controle estatal, para acabar com o subsídio que era cobrado da Petrobrás na chamada conta álcool, mas o setor sucroalcooleiro nunca aceitou isso”, afirmou. Contando com a elevada produtividade setorial, o preço do álcool hidratado é competitivo com o do combustível fóssil, e ainda confere estabilidade para a produção.


    Página 1 de 712345...Última »

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next