30 de julho de 2004

Adesivos: Feira das etiquetas prevê crescimento de mercado

Mais artigos por »
Publicado por: Renata Pachione
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Mesmo a um ano de sua realização, a segunda edição da Label Latinoamerica – Feira Internacional de Etiquetas Adesivas, marcada para o período de 28 de junho a 1° de julho de 2005, no Export Mart, em São Paulo, se sustenta em expectativas promissoras. De acordo com previsão dos organizadores, a visitação será cerca de 20% maior, frente ao público de 12 mil pessoas presente na primeira edição, realizada no Expo Mart, em São Paulo, SP. Apesar do local ser o mesmo, o espaço de 3.500 m² também deve dobrar, para abarcar os 160 expositores esperados. “Vamos crescer 100%”, ressaltou Caio de Alcântara Machado Junior, vice-presidente da Compacta, empresa responsável pela organização da feira.

    Essa projeção se justifica no próprio mercado de etiquetas adesivas. De acordo com Alcântara Machado, a indústria nacional deve fechar 2004 com crescimento de 20%, em relação ao ano anterior. O mercado nacional demanda 8 mil t de adesivos e 6 mil t de tintas, por ano, enquanto o consumo anual de papel e película, por sua vez, abarca 400 milhões de m². A América Latina também reforça a aposta nesse avanço, pois segundo dados da Compacta a região fatura US$ 2 bilhões ao ano. No entanto, apesar de se tratar de índices significativos, na opinião de Alcântara Machado, há muito espaço para o mercado crescer. Ele faz uma comparação: nos Estados Unidos, cada habitante consome 18 m² de etiquetas adesivas, ao ano, enquanto no Brasil, esse volume é de 1,5 m². Outra referência dá conta do índice europeu. O consumo per capita na Europa chega a 18 m².

    Metas – A primeira edição da Label contou com cerca de 70 expositores frente a um mercado de 800 empresas. Por isso, uma das principais propostas dos organizadores é aumentar o número de marcas presentes ao evento. Para Alcântara Machado, apesar de ter alcançado resultados satisfatórios, a edição deste ano contou com dois empecilhos: a data – ocorreu no mesmo período da Brasilpack – e o ineditismo da iniciativa. “Muitas empresas, que não estiveram neste ano, garantiram presença na próxima feira”, afirmou. A Compacta também foca seus esforços em outra meta: conquistar expositores estrangeiros. Para alcançar esse objetivo, a organização planeja ações internacionais, como a promoção da feira nos Estados Unidos e Europa.

    A feira busca envolver toda a cadeia produtiva, desde os insumos básicos até a produção final, incluindo papéis, películas, adesivos, tintas, pré-impressão, máquinas impressoras, sistemas de acabamento, ferramentas, fotopolímeros, sistemas de aplicação manual e automático, além dos convertedores. “A Label valorizou o setor, agora podemos dizer que a indústria de etiquetas adesivas tem um evento próprio”, comemorou Alcântara Machado. De acordo com ele, o sucesso dessa primeira edição foi ao encontro da tendência mundial de setorização das exposições. Em 1988, a Label Expo, feira desmembrada da tradicional Drupa, realizada na Alemanha, teve sua primeira edição em Bruxelas, na Bélgica. Nos anos seguintes, surgiram as versões para atender os mercados dos Estados Unidos, Cingapura, Moscou, China e Índia, até culminar com esta edição latino-americana.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *