Tintas e Revestimentos

17 de outubro de 2009

ABRAFATI – Tintas assumem novas funções para mercados em recuperação

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, Tintas, ABRAFATI

    A

    s perspectivas de recuperação da economia e de atração de novos investimentos no país, principalmente nas áreas de infraestrutura e de construção civil, embasaram o pronunciamento do presidente do conselho da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati), Fernando Val y Val Peres, ao inaugurar a Abrafati 2009 – a 11ª. Exposição Internacional de Fornecedores para Tintas e o 11º. Congresso Internacional de Tintas, realizados de 23 a 25 de setembro, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. O discurso destacou os sinais de um cenário otimista para o setor, com crescimento estimado em torno de 6% neste ano.

    Na manhã do dia 23, as boas-vindas de Peres produziram efeito positivo  sobre os participantes da solenidade de abertura da Abrafati 2009, este ano reunindo mais de 160 empresas expositoras e milhares de visitantes. Mais uma vez, a entidade setorial conseguiu conciliar os negócios, lançamentos de insumos e as mais recentes novidades tecnológicas para tintas e vernizes.

    “A sustentabilidade será a base para a nossa atuação e as tecnologias deverão estar cada vez mais a serviço do meio ambiente e da qualidade de vida”, afirmou Peres, com propriedade, tendo em vista o fato de ele também ocupar a diretoria comercial de uma das maiores indústrias de tintas, a Sherwin-Williams.

    Química e Derivados, Fernando Val y Val Peres, presidente do conselho da ABRAFATI, ABRAFATI

    Fernando Val y Val Peres: sigla SHEPIDS aponta caminhos para o futuro

    Traduzidas em produtos, as tintas do futuro – algumas delas já disponíveis –, tema central desta edição da Abrafati, segundo Peres, vinculam-se a novos conceitos que deverão nortear as ações e as estratégias de toda a cadeia produtiva nos próximos anos. A sigla SHEPIDS – formada pelas iniciais das palavras em inglês safety (segurança), health (saúde), environment (meio ambiente), protection (proteção), innovation (inovação), decoration (decoração) e sustainability (sustentabilidade) – resume o atual paradigma. Os novos produtos oferecerão às indústrias de tintas e aos usuários fi nais um conjunto de tecnologias adequadas e mais seguras, compatíveis com o conceito de construção “verde”, com baixa ou nenhuma emissão de compostos orgânicos voláteis (VOC), gerando menor volume de resíduos e menor impacto ambiental. Decorrem de formulações em pó, esmaltes em base aquosa e com aditivos também sustentáveis, que permitem produzir tintas mais duráveis, sem toxicidade, aliando maior poder tintorial ao menor consumo de energia na produção e na secagem.

    Nesse rol de tintas de maior valor tecnológico foram arroladas as tintas anticorrosivas para instalações críticas, as mais resistentes a intempéries; os vernizes automotivos resistentes a riscos e/ou autorregenerativos (selfhealing); as tintas autolimpantes, entre muitas outras possibilidades permitidas pelos avanços em insumos químicos.

    Na linha de frente das pesquisas e dos novos desenvolvimentos propostos pelos fornecedores, destacaram-se as matérias-primas obtidas de fontes renováveis, que poupam o meio ambiente de poluentes agressivos à camada de ozônio. Gradativamente, derivados da oleoquímica e de outras fontes renováveis passam a compor cada vez mais as formulações, disputando participação com os derivados petroquímicos.

    “Pintar a casa, a nossa moradia, não pode se transformar em um pesadelo e nossa missão é contribuir para que o nosso futuro, o futuro das tintas, esteja alinhado à somatória de conceitos declarados na SHEPIDS, pois entre os nossos maiores desafios estão o respeito ao meio ambiente e a busca de soluções economicamente viáveis”, afirmou o presidente da Abrafati, propagando condutas mais sustentáveis à produção brasileira, estimada em mais de um bilhão de litros ao ano, e posicionada em 5º lugar no ranking mundial.

    Entre as várias sugestões feitas em público ao presidente da Abrafati – a associação que congrega 22 empresas, responsáveis por 80% da produção total de tintas no país –, teve destaque a criação de alíquotas de impostos menores para as indústrias que implementarem ou acelerarem processos de produção mais limpos e que passem a produzir tintas mais sustentáveis e amigáveis ao meio ambiente e aos usuários.

    Inovações do futuro – A Dow Coating Materials já aprovou investimentos no valor de US$ 20 milhões que serão aplicados em expansões produtivas e no desenvolvimento de novas tecnologias e soluções sustentáveis para as indústrias de tintas, previstos para desembolso no período de 2009/2010. A nova unidade de negócios, criada após a aquisição da Rohm and Haas, ocorrida em 1º de abril deste ano, propiciou ao grupo fortalecer a área de especialidades para as indústrias de tintas, agregando competências e inovações para a fabricação das tintas do futuro.


    Página 1 de 812345...Última »

    Compartilhe esta página







      Um Comentário


      1. boa tarde, gostaria de saber quando será a ABRAFATI 2013, se possível adoraríamos participar das cotações dos projetos de stands deste evento..
        aguardo e obrigado
        Rogerio



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next