Cosméticos

3 de dezembro de 2015

ABC Cosméticos: Surfactantes na Indústria Cosmética

Mais artigos por »
Publicado por: Quimica e Derivados
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, ABC Cosméticos: Surfactantes na Indústria Cosmética
    Texto: Engª. Enilce Maurano Oetterer

    De uso amplamente difundido nas formulações cosméticas, os surfactantes – também chamados tensoativos – são substâncias que, pela sua estrutura e propriedades, modificam a tensão superficial dos líquidos em que se encontram, interferindo na orientação da molécula de superfície e na interface dos sistemas de fases, atuando como agente facilitador nas formações de emulsões. Uma das principais características desses produtos é a presença de moléculas com um grupo polar ligado a outro não-polar ou fracamente polar.

    O grupo POLAR é chamado HIDRÓFILO e o NÃO-POLAR, HIDRÓFOBO. Essa estrutura molecular é chamada anfifílica. Considerando-se as moléculas de um tensoativo de fórmula estrutural:

    Química e Derivados, ABC Cosméticos: Surfactantes na Indústria Cosmética
    observa-se que possuem grande dimensão e estruturas de cadeias longas. Em um extremo da cadeia, há um grupo de íons compostos, o grupo sulfuroso (NaSO3). Esses grupos se ionizam dentro da água. O sódio, positivo (cátion), solta-se da molécula deixando o grupo SO3 (ânion) carregado negativamente, que constitui o radical hidrófilo.

    Química e Derivados, ABC Cosméticos: Surfactantes na Indústria CosméticaA) Propriedades dos Tensoativos

    1. Diminuição da tensão superficial e interfacial – Considera-se um tensoativo eficiente quando em uma concentração de 0,1% diminui a tensão superficial da água para pelo menos 35 dinas/cm a 25°C, sendo que a tensão superficial desta quando pura na mesma temperatura é igual a 72 dinas/cm. A tensão interfacial se situa abaixo das tensões superficiais dos líquidos em questão.

    2. Umectância – Esta propriedade pode, em outras palavras, ser entendida como a capacidade de uma substância líquida molhar ou umedecer superfícies, conferindo maior importância aos tensoativos, pois quanto maior for sua umectância, maior será o resultado na aplicação e ação do produto em um meio líquido.

    3. Espuma – É o efeito produzido pela dispersão de um gás em um líquido, na forma de bolhas, que embora instáveis, tornam-se mais duradouras com a presença dos tensoativos.

    4. Detergência – É a propriedade que possuem os tensoativos de reagir, através de seu grupo não-polar, com as partículas de “sujeiras” de uma superfície ou tecido, por meio do decréscimo das forças de adesão e tensão superficial das camadas de gordura.

    5. Solubilizantes – Consiste na propriedade dos tensoativos de promoverem a dissolução de uma substância líquida insolúvel (soluto) em um meio líquido (solvente).

    6. Dispersantes – É a propriedade de manter partículas sólidas em suspensão em um meio líquido.

    Classificação dos Tensoativos de uso Cosméticos

    Baseado na estrutura química de seu grupo polar, podemos classificá-los em:

    1 – Agentes ANIÔNICOS

    São aqueles cujo agrupamento polar possui cargas negativas em solução aquosa. São considerados superiores, com maior campo de aplicação industrial que os demais, devido às suas boas características de detergência, espuma e umectância. São eles:

    1.1 Alquil sulfatos: Obtidos por sulfatação de um álcool graxo, obtendo-se um semiéster de ácido sulfúrico que reage com um álcali de sódio ou amônio.

    Ex.: Lauril sulfato de sódio, forte tensoativo aniônico que produz boa espuma e espessa facilmente.

    1.2 Alquil éter sulfato: É obtido mediante a prévia etoxilação do álcool graxo, obtendo-se um álcool-éter que será posteriormente sulfatado seguindo o mesmo processo dos alquil sulfatos.

    Constitui um dos tensoativos mais comuns na fabricação de xampus como, por exemplo, o lauril éter sulfato de sódio.

    1.3 Alquil aril sulfonato: São obtidos pela sulfatação dos nonilfenóis etoxilados. São usados como polimerizadores de emulsões.

    1.4 Alquil sulfosuccionato: Obtidos pela sulfatação de álcoois derivados do ácido sulfosuccínico, possuem aplicação em produtos capilares, como xampus infantis, devido à sua baixa toxicidade e irritabilidade.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      Um Comentário


      1. Primeiramente Deus que criou tudo.. E logo a pós vem a quimica.. Pq tudo vem da terra é incrivel a obra de Deus.. Ele é perfeito.. Amo estudar quimica!!!



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *